sexta-feira, 23 de julho de 2010

Uma outra Coari é possível?


A situação de Coari está indo de mal a pior; a bola de neve do empobrecimento da população desce a ladeira da pobreza desde de dezembro de 2008. Nosso povo sempre foi mantido numa estrutura geradora de empobrecimento e o pior de tudo sem luz de esperanças no fim do túnel.

O fim do ano de 2008 é só um marco para esse tempo atual de pobreza que abre de forma diferente e mais destruidora da pessoa humana. Estruturalmente a demolição do homem amazônico nasce com a chegada dos europeus em nossas terras. De lá para cá são 500 anos de empobrecimento, de misérias, de estrupos, de sonhors e esperanças roubados.

Nossa pobreza não é só material, mais também cultural, espiritual, de novos horizontes e de sonhos capazes de gerar uma nova Coari com mais qualidade de vida.

É triste conviver com as realidades das fotos; crianças pobres, forçadas a viver em casas sem muita estrutura para convivências saudaveis. Moradias que são convites para estarem na rua. Estando fora do convívio familiar, expostos a todo tipo de riscos, passando da violência a droga. São estruturas de morte.

Estou impressionado com o grande crescimento de pessoas, na sua grande maioria mulheres com crianças nos braços e outras ao seu redor, batendo em nossas portas (da casa e do escritório paorquial) para pedir. Cada um com suas histórias tristes, de fome, de misérias, capaz de derreter o mais duro dos corações. E depois os olhares das crianças, olhos vazados pela fome de tudo, até de você, de um pedaço de pão e de carinho.


E nesse mundo incentivador de um consumismo vorax, nosso egoísmo nos faz cada vez mais insensíveis. Se estou bem, o resto não conta, não me importo.

Vivendo numa terra tão rica, nem sempre é fácil compreender o porque de tanta pobreza, de tanta fome. Só quem mora aqui e quer vê o outro é capaz de enxergar tantos que estão passando pelo desafio de ser pobre e não é fácil não. Quem mora aqui e só ouve dizer pela TV de nossa riqueza, pode pensar que tudo está muito bem. Puro engano.

Fico me perguntando onde tudo isso vai dar? Será que tudo isso sempre foi assim e vai ser assim pra sempre? São perguntas que não consigo calar dentro de mim e que tanto me inquietam. Respostas a elas não tenho. Se você tiver alguma, diga lá!

2 comentários:

Anônimo disse...

cade o Juiz e o Promotor da cidaade que nada fazem, estamos passando fome

Eliomar disse...

Parece que cada dia as coisas ficam piores aqui nesses municipios nesses municipios do Amazonas. O governador não olha para o interior, O governo federal é omisso, cade o programa luz para todos??? e o prosamim??